#Real story : violência doméstica

outubro 13, 2017


Hoje trago-vos uma nova rubrica: real story. Esta temática tem como fim contar algumas histórias que se passaram comigo ou com amigos meus. Porém, quem quiser partilhar a sua história comigo é só enviar-me um e-mail a contar-me a sua história. 
Esta temática foi pensada para ajudar pessoas nas mesmas situações ou mesmo para dar conhecimentos dos inúmeros problemas que acontecem diariamente na sociedade mas, muitas vezes, são assuntos tabus para muita gente. 
A história que trago hoje é sobre violência doméstica!
Certo dia, fui acordada com uma mensagem atroz: uma amiga minha tinha sido espancada pelo pai. Pois é, custou-me imenso ler aquela mensagem e lembro-me que, a primeira coisa que fiz foi correr e vestir-me o mais rápido que consegui para ir ter com ela. Quando cheguei junto dela, não sabia o que fazer, fiquei em pedaços. Ver uma amiga naquela situação foi algo que pensei que nunca me fosse acontecer mas, o pior de tudo foi saber que tinha sido o seu pai a fazer-lhe aquilo sem motivo aparente. Apoiei-a o melhor que consegui porque, quem sabe o que fazer nestas situações? A verdade é que, nunca tinha visto uma pessoa tão frágil como vi naquele momento. Estava assustada, apavorada, chorona, triste, desiludida, perdida, traída, sem chão. 
Porém, não me vou prolongar muito acerca de tudo o que se passou, porque é algo muito pessoal e não tenho o direito de o expôr (espero que compreendam). Contudo, eu sou uma pessoa que preza muito a justiça e, apesar de a nossa muitas vezes falhar redondamente acredito que, cada caso é um caso. Assim, aconselhei a minha amiga a fazer queixa contra o seu agressor e, apesar de ser uma decisão muito difícil ela acabou por o fazer.
Acreditem, pode ser o vosso pai, o vosso irmão, a vossa mãe, o vosso namorado, a vossa namorada, o vosso marido ou a vossa mulher mas, não há qualquer tipo de justificação para a violência doméstica. Uma resposta mais ríspida, deixar algo por fazer outro qualquer outro motivo que vos leve a acreditar que a culpa é vossa acreditem: não é! O álcool também não é desculpa e não acreditem piamente que foi "uma vez sem exemplo" porque certamente não será. 
Não sofram em silêncio, não arranjem desculpas para as nódoas negras, não se culpem. Procurem ajuda mesmo que pareça impossível tenho a certeza que a encontrarão.

Sejam felizes, xoxo - A Maria do Mar 🐚 

You Might Also Like

0 comentários

Subscribe